+55 019 3829-3482  |  +55 019 3829-0841
 Participantes  |  +55 019 4062-8689

Novas abordagens para o desenvolvimento de dermocosméticos na proteção contra a radiação infravermelha-A


Novas abordagens para o desenvolvimento de dermocosméticos na proteção contra a radiação infravermelha-A
Postado por: Samara Eberlin em 21 de Maio de 2019

XXIV Congreso Latinoamericano e Ibérico de Químicos Cosméticos, São Paulo-SP, 21-23 Maio 2019
Facchini, Gustavo; Silva, Michelle S.; Silva, Gustavo H.; Pinheiro, Ana L. T. A.; Pinheiro, Adriano S.; Eberlin, Samir; Vieira, André S.; Eberlin, Samara.

A radiação infravermelha-A (rIV-A) vem sendo confirmada como agravante do processo de envelhecimento cutâneo devido à indução de alterações fisiológicas que culminam desde desordens inestéticas até a formação de neoplasias malígnas. A identificação de estruturas alvo dessa radiação na pele tornou-se uma ferramenta importante com o intuito de disponibilizar uma metodologia precisa para avaliação da eficácia de dermocosméticos na proteção contra os efeitos nocivos da rIV-A. O objetivo deste estudo foi investigar a modulação de genes envolvidos com as alterações funcionais promovidas pela rIV-A em explantes de pele humana, através da expressão gênica em larga escala utilizando o sequenciamento de mRNA (RNA-seq - next generation sequencing). Fragmentos de pele obtidos de cirurgia plástica eletiva foram expostos a rIV-A e submetidos a uma análise de expressão gênica em larga escala sequenciando todo o transcriptoma (RNA-Seq). A comparação entre o transcriptoma dos fragmentos irradiados e o controle indicou a existência de 214 genes diferencialmente expressos. A rIV-A levou ao enriquecimento de vias envolvidas com resposta imunológica, adesão celular, ciclo celular, metabolismo esfingolipídico, biossíntese de ácidos graxos, estresse oxidativo, vias de sinalização ERK e AKT, além de outras vias relacionadas a progressão de melanoma. Dentre as patologias apontadas na análise dos genes diferencialmente expressos (MetaCore®) estão hiperalgesia, dermatite de contato irritativa, psoríase, neoplasia de células escamosas e carcinoma de células de Merkel. A rIV-A promove alterações relevantes no metabolismo da pele que propiciam a resposta inflamatória e o estresse oxidativo, impactando principalmente na formação do estrato córneo e estrutura da epiderme. Baseado nesses achados e nos biomarcadores apontados abrem-se novas metodologias de avaliação mais abrangente para comprovar a eficácia de produtos que protejam pele dos efeitos deletérios da rIV-A.