+55 019 3829-3482  |  +55 019 3829-0841
 Participantes  |  +55 019 4062-8689

Efeitos antipoluição de um complexo dermocosmético para o cuidado da pele e proteção antienvelhecimento
30º Congresso Brasileiro de Cosmetologia, São Paulo, 23-25 Maio 2017


Efeitos antipoluição de um complexo dermocosmético para o cuidado da pele e proteção antienvelhecimento
Postado por: Samara Eberlin em 01 de Junho de 2017

A busca por substâncias que possam retardar ou reverter o processo de envelhecimento cutâneo é uma ferramenta constante de pesquisa e desenvolvimento na área cosmética e dermatológica. Uma estratégia para o desenvolvimento de produtos mais robustos capazes de prevenir o estresse oxidativo envolve a utilização de substâncias antioxidantes que evitem o desequilíbrio redox e mantenham a homeostase celular contendo a progressão das reações em cadeia que oxidam substratos orgânicos. A fumaça do cigarro contém mais de 4000 compostos tóxicos, incluindo muitos hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HAP), dioxinas e furanos que exercem efeitos prejudiciais sobre a pele, podendo resultar desde alterações inestéticas, como perda de elasticidade e firmeza, até desordens patológicas, como má cicatrização de feridas, carcinoma de células escamosas, melanoma, cancro oral, acne, psoríase, eczema e alopecia. Considerando o impacto negativo da poluição sobre as características essenciais da pele (uniformidade, sustentação, elasticidade), o presente estudo teve por objetivo avaliar a eficácia pré-clínica de um Complexo Dermocosmético na atividade antienvelhecimento em cultura de queratinócitos humanos expostos ou não à fumaça de cigarro. Para isso, queratinócitos humanos foram incubados com 3 concentrações não-citotóxicas do produto dermocosmético por 48 horas e expostos à fumaça de cigarro, para posterior mensuração da peroxidação lipídica, através da quantificação de malondialdeído, das enzimas antioxidantes catalase e superóxido dismutase e do receptor Ahr. Os resultados obtidos revelaram que o Complexo Dermocosmético exerce um efeito protetor contra o estresse oxidativo por mecanismos que envolvem a prevenção do consumo das enzimas antioxidantes catalase e superóxido dismutase, além de reduzir a peroxidação lipídica. Paralelamente, o Complexo Dermocosmético demonstrou um papel protetor contra os efeitos deletérios dos poluentes xenobióticos, uma vez que protegeu a translocação nuclear do receptor AhR. Esses achados demonstram que o Complexo Dermocosmético estudado pode ajudar a diminuir e atenuar os aspectos e os sinais do envelhecimento cutâneo produzido pela exposição constante à poluição, em particular, a fumaça de cigarro.