+55 019 3829-3482  |  +55 019 3829-0841
 Participantes  |  +55 019 4062-8689

Metodologia alternativa para o estudo dos efeitos da radiação infravermelha-A sobre a pele humana


Metodologia alternativa para o estudo dos efeitos da radiação infravermelha-A sobre a pele humana
Postado por: Samara Eberlin em 20 de Julho de 2016

Surgical and Cosmetic Dermatology 8(2), 115-20, 2016.
DOI: http://dx.doi.org/10.5935/scd1984-8773.20168202


A radiação infravermelha A (IV-A) causa alterações estruturais na pele, similares àquelas provocadas pela exposição prolongada à radiação ultravioleta. A avaliação de eficácia e segurança para produtos cosméticos concentra-se em ensaios in vitro e clínicos. Uma alternativa promissora é a utilização de fragmentos de pele humana provenientes de cirurgias plásticas eletivas, para avaliar os reais beneficios os reais benefícios clínicos de um produto aplicado topicamente. O objetivo desta investigação foi correlacionar os efeitos da radiação IV-A, em biópsias e em fragmentos de pele ex vivo e cultura de fibroblastos humanos, pela quantificação dos mediadores MMP-1, TIMP-1 e GADD45a. Biópsias de 15 voluntárias foram coletadas após aplicações de IV-A durante cinco dias consecutivos. Fragmentos de pele humana provenientes de cirurgia plástica eletiva e cultura de fibroblastos humanos foram expostos à radiação IV-A. Os seguintes mediadores foram mensurados: MMP-1, TIMP-1 e GADD45a para posterior comparação dos resultados. Nos três modelos utilizados a radiação IV-A induziu aumento de MMP-1, inibiu a síntese de GADD45a e não alterou os valores de TIMP-1. Devido à correlação positiva dos modelos estudados, pode-se sugerir o uso de pele ex vivo como ferramenta plausível e sustentável para suprir diferenças entre conhecimentos gerados a partir de experimentos in vitro e clínico